terça-feira, 2 de setembro de 2014

PARIS, AQUI ME TENS DE REGRESSO !!





 As companheiras de viagem: Odinéia, Jaycilene e Valdete (a Ivete bateu a nossa foto)


Eró comigo no Arco do triunfo

Paris, Aqui Me Tens de Regresso !!
 
Estive em Paris em 2005, numa Missão Técnica da Associação Brasileira de Extensão Rural – ASBRAER, para conhecer a cadeia de produção do leite e queijo, as escolas familiares rurais, a Feira Internacional de Agricultura, entre outras atividades, ligadas ao setor agropecuário da França. Ficamos mais na área rural e em Paris, só deu prá fazer um passeio pela Champs-Elysées e subir na Torre Eiffel.
Agora, em 2014, me dei um presente de visitar Paris com a minha companheira Eró, tendo por companhia quatro amigas (duas mais antigas que foram minhas ex-alunas, Jaycilene e Odinéia e duas que tive o privilégio de conhecer nessa viagem, as irmãs Ivete e Valdete). Ademais, temos por anfitrião, um casal, Antônio e Neuzimar (está, também ,minha ex-aluna e amiga), que moram em Paris há bastante tempo e a conhecem a palmo de gato. Além de nossos anfitriões, eles tem sido consultor de mercado (nos indicam os lugares onde é melhor de comprar), motorista, guia turístico e gastronômico,(fora do circuito tradicional e convencional), nos possibilitando conhecer outros lugares, coisas, e sabores (como a lingüiça que a Jay degustou e se”encantou”, o quebabe, etc.) e, nas horas vagas, ainda preparam deliciosas comidas, como a moqueca de camarão à francesa  e uma  paella, que o amigo de Antônio, Thery e sua esposa Laurence,  prepararam em nossa homenagem.  Estamos sendo tratados na mão, como galo velho. O casal Armando e Orquídea, por sua vez, nos ofereceram uma feijoada, na sua residência, que degustamos a noite. Fo uma verdadeira “Festa de Babete”, com entradas maravilhosas, vinho do Porto e de Bordeaux, Champanhe e licores diversos, além dos queijos, claro! Depois se dançou até as 3 da manhã com ritmos brasileiros selecionados pelos “DJs” Joel e Armando.
Nesta segunda experiência na “Cidade Luz”, estamos podendo constatar que Paris é, realmente, uma festa. Uma festa permanente! Além de suas extraordinárias atrações turísticas, como a Torre Eiffel, o Louvre e outros inúmeros museus, o Arco do Triunfo, as Igrejas de Notre Dame e Sacré-Coeur, Versalhes e etc... (bota etc nisso), Paris é uma atração a céu aberto. São jardins, monumentos e inúmeros artistas, que nos encantam em cada praça e locais turísticos. São grupos de dança, músicos com seus diversos instrumentos (piano sobre rodas, violino, guitarra, acordeon, saxofone, trumpetes,etc) e artistas plásticos retratando os turistas e realizando suas obras. Em Paris, para você se embevecer, basta caminhar e sair olhando as coisas belas, que se espalham por toda cidade. Paris é uma síntese da arte, da história e das humanidades construídas pelo processo civilizatório.
Tivemos, também, a oportunidade de conhecer um pouco, a região da Normandia, visitando Rouen, Honfleur e Deauville, suas Igrejas, mercados e outras atrações. Visitamos ainda a região dos castelos e vinhedos do Vale do Loire e conhecemos os castelos de Chenonceau e Chambord. No primeiro, conhecemos todas as suas dependências e suas obras de arte, no segundo, só visitamos seus jardins, pois chegamos na hora que estava sendo encerrada as visitas no interior do castelo.
Ainda fomos na Eurodisney,(a 0800), numa cortesia da Neuzimar e sua amiga que trabalha no Parque. Curtimos algumas de suas atrações, como a casa mal-assombrada (que não faz medo nenhum), a ilha do pirata, as bonecas do mundo e a viagem espacial que foi a mais emocionante. Eu e a Jay, ainda pagamos um mico de ficar um tempão na fila dos deficientes para andar num carrossel de aviãozinho. Depois de muito tempo na fila, a funcionária nos mostrou a placa, bem grande, que nós não vimos. Foi lá que comprei a minha coruja de cristal, com abatimento de 25%, que a Neuzimar, por ser funcionária do Parque, tem direito a esse desconto. O melhor do dia foi presenciar, a Ody com a Neuzimar, andando de carrinho de criança e ainda infringir o trânsito numa pista única.
Em Saint-Denis, onde os Reis da França estão sepultados na sua catedral, fomos as compras, pois ali tem um vasto mercado que pratica preços populares e apresenta bons produtos. As mulheres fizeram a festa! Eu só comprei os relógios dos meninos e um cordão para Eró. Em La Defense a Jay e Ody encontraram um quiosque que estava queimando seu estoque de produtos femininos, tudo por 2 euros, e fizeram outra festa.
O bom da viagem é poder traçar um paralelo com a nossa realidade e constatar o quanto a gente precisa avançar, principalmente, no transporte público (quem trabalha no centro de Paris, vai de Metrô pro trabalho, embora possua carro) O sistema de transporte, que articula o trem, metrô e ônibus, funciona esplendidamente. Podemos constatar, também, como a população está envelhecida e quase não vimos mulheres grávidas. A renovação da população é um problema comum a toda Europa.
Mas o melhor mesmo da viagem foi ter feito novos e bons amigos. Nossos hóspedes e cicerones, Antônio e Neuzimar; as parceiras de viagem, Ivete e Valdete; a mineira Rosália; e os amigos franceses Philippe (Fifi), Armando e Orquidea, Thery e Laurence; Joel e Maria. A essa Legião Francesa, a nossa eterna gratidão. 

Marcos Inácio Fernandes

Um comentário:

maria fátima de paula da silva disse...

MARCÃO E ERÓ, vocês merecem isso e muito mais, beijos!