terça-feira, 30 de setembro de 2008

O BRUXO DO COSME VELHO - FRASES




Frases do escritor que se tornaram famosas. As fontes de onde foram extraidas essas frases foram: "Machado de A a X - Um Dicionário de Citações", de Lucia Leite Ribeiro Prado Lopes (365 págs., editora 34, R$ 49); e "Pensamentos e Reflexões de Machado de Assis", de Gentil de Andrade (301 págs., Civilização Brasileira, esgotado).




LEIA FRASES DO ESCRITOR MACHADO DE ASSIS POR TEMAS “O humor irônico é uma das marcas do escritor brasileiro Machado de Assis (1839-1908). Algumas frases do carioca ficaram célebres, veja uma seleção por temas.




ABOLIÇÃO "A abolição é a aurora da liberdade; emancipado o preto, resta emancipar o branco."Em "Esaú e Jacó" (1904)


ADOLESCÊNCIA "Há em cada adolescente um mundo encoberto, um almirante e um sol de outubro."Em "Dom Casmurro" (1899)


"Aos quinze anos, há até certa graça em ameaçar muito e não executar nada."Em "Dom Casmurro" (1899)


ALEGRIA "Não há alegria pública que valha uma boa alegria particular."Em "Memorial de Aires" (1908)


AMOR "A falta de afeição é que traz a injustiça."Em "Histórias da Meia Noite" (1873)


"Amor de mãe é a mais elevada forma de altruísmo."Em "Páginas Recolhidas" (1899)


"É regra velha, creio eu, ou fica sendo nova, que só se faz bem o que se faz com amor. Tem ar de velha, tão justa e vulgar parece."Em "Memorial de Aires" (1888)


"Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis..."Em "Memórias Póstumas de Brás Cubas" (1881)


"Não se deliberam sentimentos; ama-se ou aborrece-se, conforme o coração quer."Em "Helena" (1876)


"Os melhores amores nascem de um minuto."Em carta a Salvador de Mendonça (1876)


"Só as grandes paixões são capazes de grandes ações."Em "Memórias Póstumas de Brás Cubas" (1881)


"Para eu amar-te devias outra ser e não como eras."Em "Erro", "Crisálidas" (1864)


BOATO "O boato é um ente invisível e impalpável, que fala como um homem, está em toda a parte e em nenhuma, que ninguém vê de onde surge, nem onde se esconde, que traz consigo a célebre lanterna dos contos arábicos, a favor da qual se avantaja em poder e prestígio, a tudo o que é prestigioso e poderoso."Em "Comentários da Semana" (série de crônicas, 7 de janeiro de 1862)


BRASIL "Um dos defeitos mais gerais, entre nós, é achar sério o que é ridículo, e ridículo o que é sério, pois o tato para acertar nestas coisas é também uma virtude do povo."Em "Ao Acaso" (28 de março 1865)


"Pátria brasileira (esta comparação é melhor) é como se disséssemos manteiga nacional, a qual pode ser excelente, sem impedir que os outros façam a sua."Em "A Semana" (8 de maio de 1892) CASAMENTO "O casamento é a pior ou a melhor coisa do mundo; pura questão de temperamento."Em "Helena" (1876)


ELOGIOS "Eu não sou homem que recuse elogios. Amo-os; eles fazem bem à alma e até o corpo. As melhores digestões da minha vida são as dos jantares em que sou brindado"Em "A Semana" (25 de setembro de 1892)


DEFEITOS "Defeitos não fazem mal, quando há vontade e poder de os corrigir"Em "Carta a Lucio de Mendonça" (24 de janeiro de 1872)


FILHOS "Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado da nossa miséria."Em "Memórias Póstumas de Brás Cubas" (1881)


"Encha uma pequena mala com idéias e frases feitas, se puder, abençoe o rapaz e deixe-o ir."Em "Balas de Estalo" (3 de abril de 1885)


GLÓRIA "As glórias de empréstimo, se não valem tanto como as de plena propriedade, merecem sempre algumas mostras de simpatia."Em "A Semana" (16 de outubro de 1892) HOMEM "Antes do poeta mostra-se o homem, antes do talento o caráter."Em "Comentários da Semana", (série de crônicas, 26 de janeiro de 1862)


IMITAÇÃO "Quando a gente não pode imitar os grandes homens, imite ao menos as grandes ficções."Em "A Semana" (19 de novembro de 1893)


INFERNO "O inferno é um hospício de incuráveis."Em "A Semana" (18 de fevereiro de 1894) JUÍZO "Em si mesma, a loucura é já uma rebelião. O juízo é a ordem, é a constituição, a justiça e as leis."Em "A Semana" (17 de janeiro de 1897)


LADRÃO "Não é a ocasião que faz o ladrão, dizia ele a alguém; o provérbio está errado. A forma exata deve ser esta: 'A ocasião faz o furto; o ladrão nasce feito.'"Em "Esaú e Jacó" (1904) LOUCURA "A loucura, objeto dos meus estudos, era até agora uma ilha perdida no oceano da razão; começo a suspeitar que é um continente."Em "O Alienista" (1882)


NATUREZA "Não seria propriamente um efeito de arte, concordo, e sim da natureza; mas que é a natureza senão uma arte anterior?"Em "A Semana" (18 de novembro de 1894)


OLHO "As coisas têm o valor do aspecto, e o aspecto depende da retina."Em "A Semana" (22 de novembro de 1896)


PAZ "O melhor modo de viver em paz é nutrir o amor-próprio dos outros com pedaços do nosso."Em "Helena" (1876)


PECADO "O maior pecado, depois do pecado, é a publicação do pecado."Em "Quincas Borba" (1891)


PERDÃO "Quando estimo alguém, perdôo; quando não estimo, esqueço. Perdoar e esquecer é raro, mas não é possível; está nas tuas mãos."Em "Iaiá Garcia" (1878)


PERIGO "Quem escapa do perigo vive a vida com outra intensidade."Em "Memórias Póstumas de Brás Cubas" (1881)


POLÍTICA "Ouça-me este conselho: em política, não se perdoa nem se esquece nada."Em "Quincas Borba" (1891) "Venha, venha o voto feminino; eu o desejo, não somente porque é idéia de publicistas notáveis, mas porque é um elemento estético nas eleições, onde não há estética."Em "Histórias de 15 Dias" (1º de abril de 1877)


POSSÍVEL "Tudo é possível debaixo do sol --e a mesma coisa sucederá acima dele - Deus sabe."Em "Memorial de Aires" (1908)


PRESENTE "O presente que se ignora vale o futuro."Em "A Cartomante", em "Várias Histórias" (1896)


PRÓLOGO "O melhor prólogo é o que contém menos coisas, ou o que as diz de um jeito obscuro e truncado."Em "Memórias Póstumas de Brás Cubas" (1881)


PURGATÓRIO "Purgatório é uma casa de penhores, que empresta sobre todas as virtudes, a juro alto e prazo curto."Em "Dom Casmurro" (1899)


REALIDADE "Mas, onde cessava ali a realidade e começava a aparência? Vinha de tratar com um infeliz ou um hipócrita?"Em "Helena" (1876) "Esquece-se o real e palpa-se o impossível."No prelúdio de "Falenas" (1870)


ROMANCE "Não confunda o romance com a vida, ou viverá desgraçada."Em "Ponto de vista", em "Histórias da Meia-Noite" (1873)


SEGREDO "Que os segredos, amiga minha, também são gente; nascem, vivem e morrem."Em "Esaú e Jacó" (1904)


SONHO "O sonho é uma festa do espírito."Em "Memórias Póstumas de Brás Cubas" (1881) TEATRO "Em uma terra onde tudo está por fazer, não seria o teatro, cópia continuada da sociedade, que estaria mais adiantado."Em "Comentários da Semana", crônicas, (1º de dezembro de 1861) "Não se comenta Shakespeare, admira-se."Em "Revista dos Teatros", crítica teatral, (12 de novembro de 1859) "Longe de educar o gosto, o teatro serve apenas para desfantasiar o espírito, nos dias de maior aborrecimento."Em "Crítica Teatral" (1866)


TEMPO "--Que importa o tempo? Há amigos de oito dias e indiferentes de oito anos."Em "Ressurreição" (1872) "O acaso propusera-lhe um enigma; o tempo dava-lhe a decifração."Em "Iaiá Garcia" (1878) "Matamos o tempo; o tempo nos enterra."Em "Memórias Póstumas de Brás Cubas" (1881)


UNIVERSAL "O dia estava lindíssimo. Não era só um domingo cristão; era um imenso domingo universal."Em "Uns Braços", "Várias Histórias" (1896) "O que importa notar é que todas essas multidões de mortos --por uma causa justa ou injusta-- são os figurantes anônimos da tragédia universal e humana."Em "A Semana" (23 de fevereiro de 1896)


VALSA "A valsa é a primeira dança do mundo; pelo menos é a única dança em que há poesia."Em "Ressurreição" (1872)


VERDADE "Não é a verdade que vence, é a convicção."Em "Esaú e Jacó" (1904) "Eu sei que vossa excelência preferia uma delicada mentira; mas eu não conheço nada mais delicado que a verdade."Em "Linha Reta e Linha Curva", "Contos Fluminenses" (1870)


VERSO "Uma coisa é citar versos, outra é crer neles."Em "Memorial de Aires" (1908)


VIÚVO "Um viúvo sem filhos vale por um solteirão; aos sessenta, vale por dois ou três."Em "Esaú e Jacó" (1904)


VIVER "Variar é viver. São dois verbos que começam com 'v': profunda lição que nos dá a natureza da gramática."No conto "Não é o Mel para a Boca do Asno" (1868)


XADREZ "Das qualidades necessárias ao xadrez, Iaiá possuía as duas essenciais: vista pronta e paciência beneditina, qualidades preciosas na vida, que também é um xadrez, com seus problemas e partidas, umas ganhas, outras perdidas, outras nulas."Em "A Semana"

domingo, 28 de setembro de 2008

A ESTRELA SOBE E O IMPÉRIO DECLINA















Deu no Blog do Fernando Rodrigues.





Pesquisas apontam para forte avanço do PT em capitais e em cidades grandes
As pesquisas de opinião disponíveis mostram que o PT deve ser o grande vencedor nas cidades de grande porte (com mais de 200 mil eleitores) e nas capitais. É claro que a cidade de São Paulo é a mais emblemática de todas (8,2 milhões de eleitores) e um fracasso de Marta Suplicy poderá desbotar as outras eventuais vitórias petistas.

Feita a ressalva, o fato é que o partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva está para atingir um marco histórico: será a única legenda do pós-ditatura militar que a cada eleição municipal, desde 1982, sempre conquistou mais prefeitos a cada pleito. Nas capitais e cidades médias e grandes o PT teve alguma irregularidade (em 2004 elegeu menos do que em 2000), mas agora deve sua melhor marca.
O melhor indicador a ser observado é o chamado G-79: as 26 capitais e os 53 municípios com mais de 200 mil eleitores (onde pode haver segundo turno caso um dos candidatos não obtenha pelo menos 50% mais um dos votos válidos). Essas 79 cidades abrigam 46.819.495 eleitores, o equivalente a 36,4% do total dos que votam neste ano. Haverá eleição em 5.563 municípios, mas a nata da nata são os que estão no G-79.
Por enquanto, há pesquisas em 77 dessas 79 cidades. Uma amostra mais do que suficiente para saber o que pode acontecer domingo que vem, no primeiro turno.
O G-79, por óbvio, era menor em outras eleições. Em 2004, era G-72, pois menos cidades tinham mais de 200 mil eleitores. Para efeito de comparação, o blog fez uma relação, abaixo, de como os partidos se comportaram nas 79 cidades nas últimas eleições.
Como se observará, os candidatos do PT aparecem em condições de competir em 33 cidades. Muito à frente do segundo colocado, o PMDB, com 22 cidades, e o PSDB, com 20 cidades:








A EROSÃO DO IMPÉRIO

Analista do serviço secreto dos EUA, Thomas Fingar, acha que o poder de seu país está erodindo. E vai erodir mais, num passo acelerado.
A avaliação de Fingar foi feira em uma conferência para seus colegas de profissão, no início do mês.
E, a seguir, reprodução do texto publicado ontem (21.set.2008) no caderno Mais!, da Folha.

Líder da inteligência dos EUA prevê declínio da influência mundial de Washington, mas não vê nenhum país à altura de substituí-lo Intelectuais de esquerda e desafetos dos EUA ganharam um aliado de peso para os argumentos e vaticínios sobre o declínio norte-americano. Surgiu uma análise tão heterodoxa quanto sombria no coração do império, dentro de uma de suas instituições mais tradicionais, o serviço secreto do país.

Eis o prognóstico de Thomas Fingar, presidente do Conselho Nacional de Inteligência dos EUA: "A dominação americana será muito reduzida [até 2025]. A esmagadora dominância que os EUA desfrutaram no sistema internacional nas áreas militar, política e econômica e, discutivelmente, na área cultural está erodindo e vai erodir num passo acelerado, com a exceção parcial do setor militar".

Fingar falava numa conferência de agentes e analistas do setor de informações norte-americano. A transcrição de sua palestra está disponível na internet [leia quadro ao lado].

Ele é considerado um dos mais importantes intérpretes da chamada "comunidade de inteligência" dos EUA, uma intricada teia de agências que incluem a CIA e vários outros órgãos cuja obrigação é coletar dados para análise estratégica do governo.

Ao expor seu ponto de vista, Fingar resumia o conteúdo dos briefings oferecidos pelo serviço secreto aos dois candidatos principais a presidente dos EUA, o democrata Barack Obama e o republicano John McCain. É costume esse tipo de reunião entre agentes de inteligência e políticos no período pré-eleitoral.

Após a eleição, o novo presidente receberá um trabalho completo do serviço secreto, com uma avaliação de cenários possíveis para os EUA e para o mundo até 2025. O ocupante da Casa Branca usará documentos como esse na formulação de sua política nos próximos quatro anos.

Sobre o processo de globalização, Fingar enxerga mais desigualdade. "A distância entre ricos e pobres -internacionalmente, regionalmente- vai crescer." Seria necessário, diz ele, uma reforma de várias estruturas de "tremendo sucesso" (FMI e Banco Mundial, entre outras), mas que ficaram obsoletas para "tratar dos desafios, das conseqüências da globalização". O problema é como implementar tal reforma. Toda idéia vinda dos EUA, "mesmo que seja uma idéia muito boa, estará manchada, se não completamente morta na largada" por causa da péssima imagem do país.

O vácuo não será preenchido tão cedo. Fingar não identifica nenhuma força emergente capaz de exercer o poder de liderança desfrutado pelos EUA no Ocidente no período pós-Segunda Guerra Mundial.

Sobrará aos EUA o poderio militar, mas "menos significante". Não haverá no futuro alguém interessado em "atacar com forças maciças convencionais". Fingar também esboça pessimismo a respeito dos efeitos da mudança climática no planeta sobre a geopolítica mundial. Vislumbra crises políticas provocadas pelas dificuldades derivadas do clima mais severo. Prevê desabastecimento de água em regiões como "o já instável Oriente Médio e a China".

Encontro na Disney
O encontro anual de agentes secretos e analistas de informações norte-americanos de vários escalões foi realizado de 2 a 4 deste mês. Sem se preocupar com a já baixa credibilidade da "comunidade", sobretudo depois do 11 de Setembro, os participantes escolheram como sede do encontro o chamativo Walt Disney World Swan and Dolphin Resort, em Orlando, na Flórida.

A entidade organizadora foi a INSA (Intelligence and National Security Alliance), uma espécie de associação de classe dos arapongas dos EUA. Nome do evento deste ano: "Transformação Analítica 2008 - Vantagem da Decisão para Desafios Futuros".

Integrante da "comunidade" desde 1970 e estrela do encontro na Flórida, além de presidir o Conselho Nacional de Inteligência, Fingar fala alemão e chinês e é vice-diretor da poderosa DNI (Director of National Intelligence), organismo criado após o 11 de Setembro com o objetivo de coordenar e analisar as informações produzidas por todos os escalões governamentais.

Vácuo internacional



O problema, diz Fingar, é não ter surgido uma força mundial capaz de construir uma nova agenda minimamente consensual. Cita como pretendentes Rússia, China e União Européia. Todos têm, na sua opinião, a mesma bagagem negativa dos EUA. "Não há ninguém em posição ou prestes a estar numa posição de, nesse período de tempo [até 2025], tomar a dianteira e instituir as mudanças que certamente precisam ser feitas no sistema internacional."

Nesse trecho de sua fala, é como se Fingar deixasse uma pergunta no ar: qual país teria hoje a força que tiveram os EUA na fase final da Segunda Guerra Mundial para criar novos acordos como os de Bretton Woods, de onde nasceram o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial?
O governo norte-americano foi o grande patrocinador daquele sistema. Representantes do mundo inteiro se dispuseram a passar alguns dias em julho de 1944 num vilarejo no interior da Nova Inglaterra, Bretton Woods, no Estado de New Hampshire.

A participação brasileira é contada com algum detalhe por um dos enviados do país,
Roberto Campos (1917-2001), no seu livro "A Lanterna na Popa" (ed. Topbooks, 1994). Tudo foi determinado pelos EUA, e os outros países foram se encaixando. Agora, essa operação seria inexeqüível -sob o comando de Washington ou de qualquer outro governo.

A palestra de Fingar é instrutiva para conhecer como o establishment norte-americano forma seus juízos de valor e sua visão de mundo. A transcrição de 32 páginas é abrangente, mas muitos países e regiões do mundo ficaram de fora. A palavra "Brasil" não aparece nenhuma vez. "América Latina" surge em um contexto junto com o Sudeste Asiático, quando o assunto é a alocação de pessoal de inteligência norte-americana.

Em resumo, o crescimento brasileiro dos anos recentes e a descoberta do petróleo da camada pré-sal foram insuficientes para colocar o país numa área relevante e abrangida pelo radar da "comunidade de inteligência" norte-americana.



Trechos da palestra de Fingar



A seguir, trechos selecionados e editados da palestra de Thomas Fingar (leia post acima) para agentes e analistas da “comunidade de informações” dos EUA no último dia 4.set.2008. Para ler a transcrição original, em inglês, clique aqui:

Globalização
"O processo de globalização que testemunhamos nas últimas duas décadas continuará a produzir mais riqueza e também mais desigualdade. Portanto, o status geral econômico do mundo vai melhorar. Mas a distância entre ricos e pobres -internacionalmente, regionalmente- vai crescer".

Poderio militar
"Daqui a 15 anos, a dimensão militar [dos EUA] permanecerá como a mais proeminente, mas será a menos significante -ou, pelo menos, menos significante do que é hoje [...]. Ninguém nos atacará com forças maciças convencionais. A nossa defesa nuclear funcionará. Então, a natureza da concorrência internacional são as ameaças cibernéticas, para citar um exemplo. Esse tipo de ameaça não é suscetível a forças militares convencionais. Eis uma situação para decidirmos como investir os nossos dólares em vista da segurança nacional".

Mudanças climática e geopolítica
"A pedido do Congresso, fizemos uma avaliação nacional de inteligência dos efeitos geopolíticos das mudanças climáticas. Olhamos até o ano de 2030, que vai além da meta do nosso estudo, que é 2025 [...]. Um dos pontos a ressaltar é que nada que seja feito de agora até 2030 mudará o impacto projetado da mudança climática até 2030. [...] Haverá mudanças no nível do mar, na temperatura, impacto na agricultura, na disponibilidade de água, no degelo no Ártico, aumentando recursos em alguns locais e reduzindo em outros. O que podemos fazer é nos preparar para mitigar esse impacto. [...] O norte da China já começa a ficar sem água porque estão reduzindo os aqüíferos no subsolo por meio de milhões de tubulações instaladas nos anos 1960, pois é necessário produzir comida para 400 milhões de pessoas".

Organismos obsoletos
"A ONU, a Organização Mundial de Comércio, que sucedeu o GATT, o FMI, o Banco Mundial, as alianças estruturais, sendo a Otan a primeira e mais relevante, foram organizações de tremendo sucesso [...] [Entretanto] nós precisamos de instituições diferentes, revitalizadas, para tratar dos desafios, das conseqüências da globalização".

Incapacidade de liderar
"Eles [organismos multilaterais] precisam ser ajustados, mas nós não temos a capacidade que tínhamos 70 anos atrás para prescrever para o mundo como será o regime a ser adotado. E, de fato, pelo menos por um período, a insatisfação internacional com as ações, atitudes ou comportamentos americanos, com o triunfalismo ou como o queiramos caracterizar, tudo isso significa que o que nós sugerirmos, mesmo que seja uma idéia muito boa, estará manchada, se não completamente morta na largada, só porque a idéia foi nossa".

RECEITA DE BELEZA DE UMA MULHER MARAVILHOSA


Dicas de beleza de Audrey Hepburn

O texto a seguir foi escrito por Audrey Hepburn, quando pediram que revelasse seus segredos de beleza.
1.
Para ter lábios atraentes, diga palavras doces.
2.
Para ter olhos belos, procure ver o lado bom das pessoas.
3.
Para ter um corpo esguio, divida sua comida com os famintos.
4.
Para ter cabelos bonitos, deixe uma criança passar seus dedos por eles pelo menos uma vez por dia.
5.
Para ter boa postura, caminhe com a certeza de que nunca andará sozinho.
6.
Pessoas, muito mais que coisas, devem ser restauradas, revividas, resgatadas e redimidas; jamais jogue alguém fora.
7.
Lembre-se que, se alguma vez precisar de uma mão amiga, você a encontrará no final do seu braço. Ao ficamos mais velhos, descobrimos porque temos duas mãos, uma para ajudar a nós mesmos, a outra para ajudar o próximo.
8.
A beleza de uma mulher não está nas roupas que ela veste, nem no corpo que ela carrega, ou na forma como penteia o cabelo. A beleza de uma mulher deve ser vista nos seus olhos, porque esta é a porta para seu coração, o lugar onde o amor reside.
9.
A beleza de uma mulher não está na expressão facial, mas a verdadeira beleza de uma mulher está refletida em sua alma. Está no carinho que ela amorosamente dá, na paixão que ela demonstra.
10.
A beleza de uma mulher cresce com o passar dos anos.

Quem foi Audrey Hepburn:

Nome Completo: Audrey Kathleen Ruston
Natural de: Brussels, Bélgica
Nascimento: 4 de Maio de 1929
Falecimento: 20 de Janeiro de 1993


Filmografia - Prêmio - Curiosidades

Filmografia

1989 - Além da eternidade (Always)
1987 - Amor entre ladrões (Love among thieves) (TV)
1981 - Muito riso e muita alegria (They all laughed)
1979 - A herdeira (Bloodline)
1976 - Robin e Marian (Robin and Marian)
1967 - Um clarão nas trevas (Wait until dark)
1967 - Um caminho para dois (Two for the road)
1966 - Como roubar um milhão de dólares (How to steal a million)
1964 - My fair lady (My fair lady)
1964 - Quando Paris alucina (Paris - When it sizzles)
1963 - Charada (Charade)
1961 - Infâmia (Children's hour, The)
1961 - Bonequinha de luxo (Breakfast at Tiffany's)
1960 - O passado não perdoa (Unforgiven, The)
1959 - Uma cruz à beira do abismo (Nun's story, The)
1957 - Um amor na tarde (Love in the afternoon)
1957 - Cinderela em Paris (Funny face)
1956 - Guerra e paz (War and peace)
1954 - Sabrina (Sabrina)
1953 - A princesa e o plebeu (Roman holiday)
1952 - Secret people, The1952 - Nous irons à Monte Carlo
1951 - Laughter in paradise
1951 - O mistério da torre (Lavender Hill Mob, The)
1951 - Monte Carlo baby
1951 - One wild oat
1951 - Young wive's tale
1948 - Nederland in 7 lessen

Prêmios

- Recebeu 5 indicações ao Oscar de Melhor Atriz, por "A Princesa e o Plebeu" (1953), "Sabrina" (1954), "Uma Cruz à Beira do Abismo" (1959), "Bonequinha de Luxo" (1961) e "Um Clarão nas Trevas" (1967). Venceu por "A Princesa e o Plebeu".- Recebeu 4 indicações ao Globo de Ouro de Melhor Atriz - Drama, por "A Princesa e o Plebeu" (1953), "Guerra e Paz" (1956), "Uma Cruz à Beira do Abismo" (1959) e "Um Clarão nas Trevas" (1967). Venceu por "A Princesa e o Plebeu".- Recebeu 4 indicações ao Globo de Ouro de Melhor Atriz - Comédia/Musical, por "Um Amor na Tarde" (1957), "Charada" (1963), "My Fair Lady" (1964) e "Um Caminho para Dois" (1967). - Ganhou o Prêmio Cecil B. DeMille em 1990, concedido pela Associação de Jornalistas Estrangeiros de Hollywood. - Recebeu 5 indicações ao BAFTA de Melhor Atriz Britânica, por "A Princesa e o Plebeu" (1953), "Sabrina" (1954), "Guerra e Paz" (1956), "Uma Cruz à Beira do Abismo" (1959) e "Charada" (1963). Venceu por "A Princesa e o Plebeu", Uma Cruz à Beira do Abismo" e "Charada".- Ganhou o prêmio de Melhor Atriz no Festival de San Sebastian, por "Uma Cruz à Beira do Abismo" (1959).

Curiosidades

- Recebeu da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas o Jean Hersholt Humanitarian Award, em 1993, por seu trabalho como embaixadora da Unicef. O prêmio foi entregue postumamente e recebido por seu filho, Sean Hepburn Ferrer.- Possui uma estrela na Calçada da Fama, localizada em 1650 Vine Street.


A MENSAGEM DA SEMANA


DO MUNDO VIRTUAL AO ESPIRITUAL

Ao viajar pelo Oriente, mantive contatos com monges do Tibete, da Mongólia, do Japão e da China. Eram homens serenos, comedidos, recolhidos em paz em seus mantos cor de açafrão. Outro dia, eu observava o movimento do aeroporto de São Paulo: a sala de espera cheia de executivos com telefones celulares, preocupados, ansiosos, geralmente comendo mais do que deviam. Com certeza, já haviam tomado café da manhã em casa, mas como a companhia aérea oferecia um outro café, todos comiam vorazmente. Aquilo me fez refletir: "Qual dos dois modelos produz felicidade?" Encontrei Daniela, 10 anos, no elevador, às nove da manhã, e perguntei: "Não foi à aula?" Ela respondeu: "Não, tenho aula à tarde". Comemorei: "Que bom então de manhã você pode brincar dormir até mais tarde". "Não", retrucou ela, "tenho tanta coisa de manhã..." "Que tanta coisa?", perguntei. "Aulas de inglês, de balé, de pintura, piscina", e começou a elencar seu programa de garota robotizada. Fiquei pensando: "Que pena a Daniela não disse: Tenho aula de meditação”!
Estamos construindo super-homens e supermulheres, totalmente equipados, mas emocionalmente infantilizados. Por isso as empresas consideram agora que, mais importante que o QI, é a IE, a Inteligência Emocional. Não adianta ser um superexecutivo se não se consegue se relacionar com as pessoas. Ora, como seria importante os currículos escolares incluírem aulas de meditação!

Uma progressista cidade do interior de São Paulo tinha, em 1960, seis livrarias e uma academia de ginástica; hoje, tem sessenta academias de ginástica e três livrarias! Não tenho nada contra malhar o corpo, mas me preocupo com a desproporção em relação à malhação do espírito. Acho ótimo, vamos todos morrer esbeltos: "Como estava o defunto?". "Olha, uma maravilha, não tinha uma celulite!" Mas como fica a questão da subjetividade? Da espiritualidade? Da ociosidade amorosa?
Outrora, falava-se em realidade: análise da realidade inserir-se na realidade, conhecer a realidade. Hoje, a palavra é virtualidade. Tudo é virtual. Pode-se fazer sexo virtual pela Internet: não se pega aids, não há envolvimento emocional, controla-se no mouse. Trancado em seu quarto, em Brasília, um homem pode ter uma amiga íntima em Tóquio, sem nenhuma preocupação de conhecer o seu vizi­nho de prédio ou de quadra! Tudo é virtual, entramos na virtualidade de todos os valores, não há compromisso com o real! É muito grave esse processo de abstração da linguagem, de sentimentos: somos místicos virtuais, religiosos virtuais, cidadãos virtuais. Enquanto isso, a realidade vai por outro lado, pois somos também eticamente virtuais…

A cultura começa onde a natureza termina. Cultura é o refinamento do espírito. Televisão, no Brasil - com raras e honrosas exceções -, é um problema: a cada semana que passa, temos a sensação de que ficamos um pouco menos cultos. A palavra hoje é 'entretenimento’; domingo, então, é o dia nacional da imbecilização coletiva. Imbecil o apresentador, imbecil quem vai lá e se apresenta no palco, imbecil quem perde a tarde diante da tela. Como a publicidade não consegue vender felicidade, passa a ilusão de que felicidade é o resultado da soma de prazeres: "Se tomar este refrigerante, vestir este tênis, ­ usar esta camisa, comprar este carro, você chega lá!" O problema é que, em geral, não se chega! Quem cede desenvolve de tal maneira o desejo, que acaba­ precisando de um analista. Ou de remédios. Quem resiste, aumenta a neurose. Os psicanalistas tentam descobrir o que fazer com o desejo dos seus pacientes. Colocá-los onde? Eu, que não sou da área, posso me dar o direito de apresentar uma su­gestão. Acho que só há uma saída: virar o desejo para dentro. Porque, para fora, ele não tem aonde ir! O grande desafio é virar o desejo para dentro, gostar de si mesmo, começar a ver o quanto é bom ser livre de todo esse condicionamento globalizante, neoliberal, consumista. Assim, pode-se viver melhor. Aliás, para uma boa saúde mental três requisitos são indispensáveis: amizades, auto-estima, ausência de estresse.

Há uma lógica religiosa no consumismo pós-moderno. Se alguém vai à Europa e visita uma pequena cidade onde há uma catedral, deve procurar saber a história daquela cidade - a catedral é o sinal de que ela tem história. Na Idade Média, as cidades adquiriam status construindo uma catedral; hoje, no Brasil, constrói-se um shopping center. É curioso: a maioria dos shopping centers tem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas; neles não se pode ir de qualquer maneira, é preciso vestir roupa de missa de domingos. E ali dentro sente-se uma sensação paradisíaca: não há mendigos, crianças de rua, sujeira pelas calçadas...

Entra-se naqueles claustros ao som do gregoriano pós-moderno, aquela musiquinha de esperar dentista. Observam-se os vários nichos, todas aquelas capelas com os veneráveis objetos de consumo, acolitados por belas sacerdotisas. Quem pode comprar à vista, sente-se no reino dos céus. Se deve passar cheque pré-datado, pagar a crédito, entrar no cheque especial, sente-se no purgatório. Mas se não pode comprar, certamente vai se sentir no inferno... Felizmente, terminam todos na eucaristia pós-moderna, irmanados na mesma mesa, com o mesmo suco e o mesmo hambúrguer do McDonald's…

Costumo advertir os balconistas que me cercam à porta das lojas: "Estou apenas fazendo um passeio socrático." Diante de seus olhares espantados, explico: "Sócrates, filósofo grego, também gostava de descansar a cabeça percorrendo o centro comercial de Atenas. Quando vendedores como vocês o assediavam, ele respondia: "Estou apenas observando quanta coisa existe de que não preciso para ser feliz."

FREI BETTO


sábado, 27 de setembro de 2008

MORRE PAUL NEWMAN


"A Cor do Dinheiro" deu a Newman o Oscar de melhor ator de 1986







































Paul Newman (1925-2008).

E lá se foi mais um dos grandes astros da minha adolescência. Lembro-me de ter visto "Hombre" no cine Moderno em Recife e o famoso Butch Cassidy, Exodus e Gata em Teto de Zinco Quente, no cinema da Base Aérea em Parnamirim. Muito depois reví alguns desses filmes em VHS e DVD. De Paul Newman o filme que mais me marcou foi "O Veredicto", na minha opinião, o melhor filme de tribunal.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

RECEITA DA ETERNA JUVENTUDE






COMO MANTER-SE JOVEM




1. Deixe fora os números que não são essenciais. Isto inclui a idade, o peso e a altura. Deixe que os médicos se preocupem com isso.




2. Mantenha só os amigos divertidos. Os depressivos puxam para baixo. (Lembre-se disto se for um desses depressivos!)




3. Aprenda sempre: Aprenda mais sobre computadores, artes, jardinagem, o que quer que seja. Não deixe que o cérebro se torne preguiçoso. 'Uma mente preguiçosa é oficina do Alemão.' E o nome do Alemão é Alzheimer!




4. Aprecie mais as pequenas coisas




5. Ria muitas vezes, durante muito tempo e alto. Ria até lhe faltar o ar. E se tiver um amigo que o faça rir, passe muito e muito tempo com ele / ela!




6. Quando as lágrimas aparecerem Aguente, sofra e ultrapasse. A única pessoa que fica conosco toda a nossa vida somos nós próprios. VIVA enquanto estiver vivo.




7. Rodeie-se das coisas que ama: Quer seja a família, animais, plantas, hobbies, o que quer que seja. O seu lar é o seu refugio.




8. Tome cuidado com a sua saúde: Se é boa, mantenha-a. Se é instável, melhore-a. Se não consegue melhora-la , procure ajuda.




9. Não faça viagens de culpa. Faça uma viagem ao centro comercial, até a um país diferente, mas NÃO para onde haja culpa




10. Diga às pessoas que ama que as ama a cada oportunidade. E, se não mandar isto a pelo menos quatro pessoas - quem é que se importa? Serão apenas menos quatro pessoas que deixarão de sorrir ao ver uma mensagem sua. Mas se puder pelo menos partilhe com alguém!

domingo, 21 de setembro de 2008

AGUERRA DAS CAMISETAS DOS UNIVERSITÁRIOS




Camiseta bolada pela turma de Direito:

"Seu namorado faz direito? Vem cá que eu faço".

Em seguida, o pessoal de Medicina largou a seguinte:

"Ele pode até fazer direito, mas ninguém conhece seu corpo melhor que eu."

O pessoal de Administração não deixou por menos:

"Não adianta conhecer o corpo, fazer Direito se não souber Administrar o que tem"

O pessoal de Administração não ficou bem na fita, quando a Turma de Agronomia apareceu com a seguinte frase:

"Uns conhecem bem, outros fazem direito, e alguns sabem administrar o que tem, mas plantar a mandioca como nós ninguém consegue!"

O pessoal da Publicidade largou esta:

"De que adianta conhecer bem, fazer direito, saber administrar e plantar a mandioca, se depois não puder contar pra todo mundo?"

A turma da Engenharia:

"De que adianta conhecer bem, fazer direito saber administrar, plantar a mandioca, contar prá todo mundo se não tem potência para fazer várias vezes?"

A frase campeã ERA a da Economia :

"De que adianta conhecer bem, fazer direito, saber administrar, plantar a mandioca, poder contar pra todo mundo, ter energia e potência para fazer varias vezes, se mulher gosta mesmo é de dinheiro? ”

NOVA FRASE DAS MENINAS DO CURSO DE NUTRIÇÃO:

"De que adianta conhecer bem, fazer direito, saber administrar, plantar a mandioca, poder contar pra todo mundo, ter energia e potência para fazer várias vezes e ter dinheiro... se no final das contas a gente sempre precisa ensinar a comer! ”

sábado, 20 de setembro de 2008

PORQUE HOJE É SÁBADO





O Dia da Criação (Vinicius de Moraes)


I


Hoje é sábado, amanhã é domingo

A vida vem em ondas como o mar

Os bondes andam em cima dos trilhos

E Nosso Senhor Jesus Cristo morreu na cruz para nos salvar.

Hoje é sábado, amanhã é domingo

Não há nada como o tempo para passar

Foi muita bondade de Nosso Senhor Jesus Cristo

Mas por vias das dúvidas livrai-nos meu Deus de todo o mal.

Hoje é sábado, amanhã é domingo

Amanhã não gosta de ver ninguem bem

Hoje é que é o dia do presente

O dia é sábado.

Impossível fugir a essa dura realidade

Neste momento todos os bares estão repletos de homens vazios

Todos os namorados estão de mãos entrelaçadas

Todos os maridos estão funcionando regularmente

Todas as mulheres estão atentas

Porque hoje é sábado.


II


Neste momento há um casamento

Porque hoje é sábado

Há um divórcio e um violamento

Porque hoje é sábado

Há um homem rico que se mata

Porque hoje é sábado

Há um incesto e uma regata

Porque hoje é sábado

Há um espetáculo de gala

Porque hoje é sábado

Há uma mulher que apanha e cala

Porque hoje é sábado

Há um renovar-se de esperanças

Porque hoje é sábado

Há uma profunda discordância

Porque hoje é sábado

Há um sedutor que tomba morto

Porque hoje é sábado

Há um grande espírito de porco

Porque hoje é sábado

Há uma mulher que vira homem

Porque hoje é sábado

Há criançinhas que não comem

Porque hoje é sábado

Há um piquenique de políticos

Porque hoje é sábado

Há um grande acréscimo de sífilis

Porque hoje é sábado

Há um ariano e uma mulata

Porque hoje é sábado

Há uma tensão inusitada

Porque hoje é sábado

Há adolescências seminuas

Porque hoje é sábado

Há um vampiro pelas ruasP

orque hoje é sábado

Há um grande aumento no consumo

Porque hoje é sábado

Há um noivo louco de ciúmes

Porque hoje é sábado

Há um gardem-party na cadeia

Porque hoje é sábado

Há uma impassível lua cheia

Porque hoje é sábado

Há damas de todas as classes

Porque hoje é sábado

Há umas difíceis outras fáceis

Porque hoje é sábado

Há um beber e um dar sem conta

Porque hoje é sábado

Há uma infeliz que vai de tonta

Porque hoje é sábado

Há um padre passeando à paisana

Porque hoje é sábado

Há um frenesi de dar banana

Porque hoje é sábado

Há a sensação angustiante

Porque hoje é sábado

De uma mulher dentro de um homem

Porque hoje é sábado

Há a comemoração fantástica

Porque hoje é sábado

Da primeira cirurgia plástica

Porque hoje é sábado

E dando os trâmites por findos

Porque hoje é sábado

Há a perspectiva de domingo

Porque hoje é sábado


ANIVERSÁRIO DO JORGE



Hoje é o natalício do Jorge Viana. Dele, pode-se dizer, que foi um governador que zelou pelo Acre. No seu "Guia do Imperador", o Imperador romano Marco Aurélio (121 - 180 d.C ) diz: "Tenha em mente que o valor de um homem é medido pelas coisas que são objeto de seu zelo." O valor do Jorge, portanto, é do tamanho do Acre - um Estado da melhor qualidade .- Felicidades jorge.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

QUEM MANDA NO BRASIL?


Postado no Site CONVERSA AFIADA do Paulo Henrique Amorim. Transcrevo e endosso


LULA = MORALES
Paulo Henrique Amorim
Máximas e Mínimas 1442

Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista

“O sol é o melhor desinfetante.” (Autor anônimo)

. “Aprovação a Lula bate recorde histórico” (sic), diz a manchete da Folha (da Tarde*).
. Segundo pesquisa do Datafolha, 64% dos brasileiros apóiam o Governo dele, inclusive os ricos.
. Lula está 17 pontos à frente do melhor momento do Governo do Farol de Alexandria.
.
Clique aqui para ler.
. Porém, Lula é igual a Evo Morales.
. Morales também é um campeão de popularidade na Bolívia.
. Morales não perde uma eleição.
. Lula também.
. Morales ganha todos os plebiscitos.
. Lula vai ganhar as eleições municipais de novembro.
. Morales não manda na Bolivia.
. Lula não manda no Brasil.
. Morales não manda no gás da Bolívia.
. Lula não vai mandar no Pré-Sal.
. Lula não vai ter peito de enfrentar os paulistas na distribuição dos royalties do pré-sal, nem de impedir que os amigos do Fernando Henrique explorem o pré-sal.
. Assim como Morales não manda em Tarija, a província que mais produz gás.
.
Clique aqui para ler “Dantas ganhará o pré-sal no Supremo”.
. Os ricos da Bolívia não deixam Morales governar.
. Os ricos do Brasil acham o Governo Lula “ótimo ou bom”, mas não deixam ele governar.
. O PiG trabalha para derrubar o Morales e ele não tem mídia onde se defender.
. O PiG trabalha para derrubar o Lula e o Lula tem medo do PiG. . Lula não manda no Ministério das Comunicações – quem manda é a Globo.
. Lula não manda no BNDES – quem manda são o Carlos Jereissati e o Sergio Andrade.
. Lula não manda na Secretaria da Presidência. Quem manda é o “Gomes”.
. Lula não manda no Ministério da Defesa. Quem manda é o Serra.
. Lula não manda no Congresso. Quem manda são os amigos do Daniel Dantas.
. Lula não manda no Banco Central. Quem manda é um deputado do PSDB.
. Lula não manda na Anatel. Quem manda é o Daniel Dantas.
. Lula não manda na CVM – quem manda são os advogados de Dantas.
. Lula não tem “facilidades” no Supremo Tribunal Federal – quem tem é o Daniel Dantas.
. Lula não manda na ABIN. Quem manda é o Nelson Jobim, que degolou o ínclito Delegado Dr. Paulo Lacerda com "a fábula da máquina".
. Lula não manda na Polícia Federal. Quem manda é o Daniel Dantas.
. Quem manda no Brasil é o Daniel Dantas –
clique aqui para ler a capa da revista Carta Capital.
. Lula não manda no Corinthians.
. Lula não manda na Seleção – quem manda é o Julio Cesar, que manda o Lula ...
. Agora, tem uma diferença entre Morales e Lula: Morales não tem medo.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

11 DE SETEMBRO: UMA DATA TRÁGICA PARA A DEMOCRACIA


Em 1973, Savador Allende, Presidente Constitucional do Chile,foi derrubado do governo por um golpe militar apoiado e articulado pelos Estados Unidos. Allende resistiu e pagou com a vida a ousadia de acender a chama da esperança socialista na nuestra américa.


Em 2001, Os Estados Unidos foram vítimas da maior agressão no seu território. O atentado terrorista ao Word Trade Center e ao Pentágono, evento que marca o início de uma nova era no mundo. O terrorismo é a ação política levada a extrema consequência ou inconsequência.
Salvador Allende

.As torres gêmeas do WTC em New York

TORCENDO PELO ÍNDIO



A elite branca e golpista boliviana tentam derrubar o índio Evo Morales, eleito e referendado recentemente pelo povo do nosso vizinho país. Como no meu tempo de criança, quando assistia aos Westerns americanos, vou continuar torcendo pelos índios. Agora por um índio de um país abaixo do "rio Grande"(rio que separa o México dos Estados Unidos.) E falando em índios e em cinema, ontem assistí um grande filme, que retrata a luta e a resistência das tribos americanas - "Enterrem Meu Coração na Curva do Rio" - que narra a epopéia do povo Sioux, chefiados por Touro Sentado e Cavalo Doido. Esses caciques impuseram uma derrota histórica ao exército americano na batalha de Litle Big Horn, na qual o General Custer foi derrotado e morto. Que esses chefes indígenas inspirem Morales. Um bom sinal foi a decisão de expulsar da Bolívia o embaixador americano, Philip Goldeberg.

Os golpistas Rubén Costa(E), Prefeito de Stª Cruz e Branko Marinkovic(D), líder do "Comitê Cívico" de Santa Cruz - Bolívia

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

O BIG BANG - DE VOLTA AO INÍCIO





Hoje,10 de maio de 2008, a ciência começa a operar o seu projeto científico mais ambicioso. Já está em funcionamento, no Centro Europeu para Pesquisa Nuclear - CERN, em Genebra na Suiça, o acelerador de partículas LHC (Large Hadron Collider), ou grande colisor de Hadrons. O LHC é um acelarador de partículas subatômicas e custou a 20 paises europeus e várias outras nações colaboradoras, algo em torno de 15 bilhões de reais. Com esse projeto, os centistas do CERN, pretendem provocar, em escala reduzida e sob controle, o fenõmeno que gerou o universo, a explosão cósmica do Big- Bang, ocorrida a 13,7 bilhões de anos. O LHC é o maior e o mais sofisticado instrumento científico jamais concebido. Ele reuniu o esforço de 6.500 cientistas de 500 Universidades de mais de 80 Nações, entre elas, o Brasil. A sua tarefa será sondar profundamente a constituição íntima da matéria e explicar alguns mistérios que ainda rondam as teorias mais modernas da física.

Curiosidade: Foi por conta desse projeto científico, que conecta centenas de milhares de computadores espalhados pelo mundo, que nasceu a "WWW", dando origem a Internet com um protocolo livre.

O CERN mantém uma política de transferência de tecnologia à sociedade, pois as descobertas são incorporadas na medicina (terapia de câncer), tecnologias de imagens, instrumentos de medida, radioterapia, tomografias, etc. Além de produzir uma quantidade imensa de tecnologia nova, o LHC mudará nosso entendimento sobre o universo, um conhecimento que não tem preço.
(Texto extraído da edição especial da revista Caros Amigos - nº 36 de novembro de 2007)


O Large Hadron Collider - LHC (Acelerador de partículas subatômicas)

terça-feira, 9 de setembro de 2008

OLHA A FASER AÍ GENTE

FASER participa da reunião do Comitê Nacional de Ater

O Comitê Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) se reuniu em Brasília, nos dias 02 04 de setembro para discutir uma proposta de plano de ação para a extensão rural com base nos resultados do Seminário Nacional de Ater que aconteceu em junho deste ano. Participaram pela FASER Lino Moura e João Saraiva, coordenadores da Executiva Nacional da Federação.
O diretor do Departamento de Ater da Secretaria de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (Dater/SAF/MDA), Argileu Martins da Silva, destacou na abertura da reunião a importância da discussão dos resultados obtidos no Seminário pelo Comitê e apresentação de propostas. “A Ater vive um momento desafiador e a aposta do governo é de que a Assistência Técnica faz a diferença”, avalia. Argileu falou ainda que apenas 30% dos agricultores familiares do Brasil recebem assistência técnica e que uma suplementação orçamentária de 200 milhões para a ATER vai permitir avanços para mudar este quadro. Também falou das ações integradas com o CNPQ onde estão sendo lançados dois novos editais para interveniência para Jovens Rurais junto às Universidades em processo que usa a metodologia de Alternância e do Edital para as entidades de Pesquisa dos Estados.
Na reunião também foram tratadas as questões do Marco Legal para o financiamento da ATER onde o Diretor do DATER, Argileu Martins, informou sobre as dificuldades atuais para o repasse e prestação de contas das entidades privadas pelas limitações legais. Afirmou que a melhor forma de operacionalizar recursos são as OCIP que junto com as OS são o “braço do Estado para executar as políticas públicas”. Informou que o DATER está propondo a”Lei Geral de ATER” que permitirá a remuneração das entidades prestadoras de serviço pelos serviços prestados.
Em relação aos indicadores de Ater foi informado que está lançado um novo edital para contratação de consultoria para elaboração de nova proposta que contemple os pontos levantados no debate que ocorreu no Comitê de ATER e no GT de Indicadores criado no Comitê do qual a FASER participa.
Foi analisado o documento resultante dos debates no Seminário Nacional de ATER e definidas as prioridades para a ação do DATER e Entidades de ATER no Brasil:
1. Revisão do Marco Legal para o financiamento das ações de ATER;
2. Consolidação ou regulamentação do MDA;
3. Democracia, Participação e Gestão Social;
4. Superação da Pobreza Rural;
5. Soberania e Segurança Alimentar;
6. Geração de Renda e Agregação de Valor à Produção (Fortalecimento das Cadeias Produtivas, adequação da legislação fiscal, ambiental, sanitária e tributária, mercados para a Agricultura Familiar e Fóruns da Economia Solidária);
7. Fortalecimento das Redes de ATER;
8. Divulgar e criar novas Redes Temáticas de ATER;
9. Metodologia de ATER;
10. Monitoramento e Avaliação das Ações de ATER.
Também estive na referida reunião do Comitê de ATER, na qualidade de consultor. Foram 2 dias e meio de trabalho, preparando o Plano de Aperfeiçoamento da Implementação da PENATER a ser submetido ao CONDRAF.
Foi bom rever antigos companheiros de lutas da FASER como o Lino e o Saraiva e os confrades da ABER, Hur Ben e Mário Amorim, além claro, do amigo e conterrâneo Rginaldo - "O Grande Régis"
Registro ainda o email do Mario Amorim, dando seu informe sobre a reunião do Comitê.
Estimados/as Colegas,

Noticiamos que no período de 02 a 04 e setembro fluente, ocorreu a 12ª Reunião Ordinária do Comitê Nacional de ATER, sob a Coordenação do Colega HUR BEN.
O evento tratou da seguinte pauta:
Aprovação da Ata da Reunião Anterior
Leitura do documento produzido no Seminário Nacional de ATER
Analisar as atividades a serem sugeridas como prioridades para SAF
Proposta de Indicadores de Resultados de Ater – INDICATER
PRONATER - 2008
Informes
O evento foi aberto pelo Diretor do DATER, o Colega ARGILEU, que discorreu sobre o CONDRAF, seus comitês e suas interfaces com a PNATER. Comentou, ainda sobre o INDICATER, a evolução dos recursos para a ATER (2003=3,8 MILHÕES e 2008= 397 MILHÕES), Territórios da cidadania, Plano Safra 2008/2009 entre outros assuntos.
O colega HUR BEN deu sequencia a reunião comentando, incialmente, sobre a metodologia e o conteúdo do evento.
Os integrantes do Comitê, de posse dos resultados do Seminário Nacional de ATER, dialogaram durante dois dias, em trabalho de grupo, sobre a sistematização, encaminhamentos e priorização na execução das propostas do Seminário.
Os/as senhores/as integrantes do Comitê, elegeram quatro pontos prioritários para execução:
1. MARCO LEGAL;
2. REDE DE ATER;
3) REDES TEMÁTICAS DE ATER e,
4) ORGANIZAÇÃO SOCIAL.

Por fim, foi deliberado que este trabalho do Comitê seria enviado para o CONDRAF, que tem a competência legal para decidir sobre os encaminhamentos sugeridos.

Abraços
Mário Varela Amorim
Diretor Técnico EMATER-RN e Representante da ASBRAER no Comitê Nacional de ATER do CONDRAF.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

O ESPANTO E A VERGONHA


Mino Carta, no seu editorial de Carta Capital, coloca a "Crise do Grampo" na sua devida dimensão - "o estamento dos donos do poder", que Daniel Dantas comanda. Também me considero um cidadão perplexo e indignado.

Confiram o texto desse grande jornalista: "O MESMO DO MESMO DO MESMO"
"O poder no país tem donos e eles portam-se como súditos de Daniel Dantas".

Entre domingo e segunda-feira passada, a mídia nativa, instigada pela revista Veja, que formou a primeira bola-de-neve geradora de aludes de típica marca nativa, aceitou em uníssono que grampo houve de ligações do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes. Personalidades de alto bordo aderiram à crença com ímpeto fundamentalista, da ministra Dilma Rousseff ao governador de São Paulo, José Serra. O próprio presidente da República curvou-se como se estivesse diante de prova provada e dispensou em bloco a cúpula da Abin, a agência acusada de realizar o grampo, a começar pelo diretor Paulo Lacerda, veterano e respeitado policial que de 2003 a 2007 comandou a Polícia Federal com resultados importantes. Oficialmente afastado a bem da investigação. Tranqüila? Isenta? Para quem? Cabe, neste enredo, a primeira entre inúmeras perguntas. Que investigação seria esta se já se pretende assentada a verdade factual? O ministro da Defesa, Nelson Jobim, imponente nas suas fardas de campanha como convém à gravidade do momento, afirma que a Abin dispõe dos mesmos equipamentos de interceptação telefônica em dotação das Forças Armadas, como se com este argumento caíssem quaisquer dúvidas quanto aos autores da operação. Admitamos então que as Forças Armadas também se deleitem em vasculhar a intimidade de semelhantes graúdos. Talvez não seja por acaso que o saboroso editorial do Estadão de segunda, 1º de setembro, se apressa a denunciar, no efetivo da Abin, a presença de egressos do SNI, “um dos pilares da ditadura”, aquela que o jornal invocou nos começos da década de 60. A rigor, não há prova de coisa alguma, com a única certeza de que uma conversa entre São Francisco e os irmãos passarinhos teria mais impacto do que a relatada por Veja entre Gilmar Mendes e o senador Demóstenes Torres. De raspão, uma pergunta menor: que tem a dizer o magistrado a um parlamentar? Mas há perguntas maiores. Por exemplo uma, precipitada pela determinação do presidente do STF, logo anunciada em seguida à saída da Veja, de “chamar às falas” o presidente da República, à sombra de duas gravíssimas afirmações, equivalentes à definição da incompetência do Executivo, responsável, na visão de Mendes, salvo melhor juízo, por uma “crise de governança” e pelo “descontrole do aparelho estatal”. E por que o primeiro mandatário, em lugar de recomendar calma ao magistrado e alegar o propósito de melhor inteirar-se dos fatos, recebe-o prontamente e atende a seus pedidos? Há quem sussurre: para evitar uma crise institucional. E, por isso, justifica-se que um poder baixe literalmente a cabeça diante de outro? Gilmar Mendes invectiva há tempo contra um pretenso “Estado policial”. Não seria o caso, contudo, de perceber uma ditadura do Judiciário? E até quando o País será submetido periodicamente pelos manipuladores da chamada opinião pública à ameaça do enfarte do próprio Estado? Qualquer pretexto presta-se à tarefa, inspirada pelo pavor da minoria temerosa de perder os privilégios e pela resignação da maioria. O tempo passa, o cenário mundial muda. No entanto, no Brasil os humores são sempre os mesmos, embora se alterem as posições de certas peças do tabuleiro. Tome-se, por exemplo, o ex-ministro José Dirceu, hoje álacre intermediário de negócios. Para a Veja, já foi o melhor intérprete das piores vilanias. Hoje a revista o encara quase como estadista. Por quê? Quem sabe porque conviva com figuras da relevância de Carlos Slim e Daniel Dantas. O poder encanta-se com a revista da Editora Abril, ela é, igual à Globo, o escoadouro das suas ambições, a garantia dos pecados relevados, da omissão necessária, da mentira indispensável. Veja celebrou esta semana 40 anos de existência e organizou um evento do qual participaram ministros e outros figurões deste governo que a Veja denigre sistematicamente, bem como os pré-candidatos à Presidência em 2010. O anúncio do seminário convocado para discutir “O Brasil que queremos ser” apresentava como garotos-propaganda duas crianças caucasianas, possivelmente alemãs ou, talvez, suecas. Muita falta me faz um grande amigo e pensador extraordinário que se foi há cinco anos, Raymundo Faoro. Que diria ele, em uma hora dessas? Ouço-o identificar no convescote abriliano os dignos representantes do estamento dos donos do poder. Contingentes e imanentes, eternos na linha de tradição que deita raízes na dinastia de Avis. Cambiantes no rosto, mas imortais. O que menos lhes interessa são o Brasil e os brasileiros. Basta-lhes cuidar de si mesmos. Muitas poderiam ser as perguntas plausíveis quando se trava uma guerra feroz e escancarada, embora despercebida pela maioria, pelo controle dos instrumentos do poder. E ainda pergunto: será que o presidente Lula se dá conta da sua condição de alvo preferencial? A despeito de todos os seus esforços para agradar ao estamento poderoso, este nunca vai digeri-lo. De todo modo, o presidente que se curva diante de Gilmar Mendes e engole as prepotências de Nelson Jobim não pode ignorar onde medra o ovo da serpente. Soa como algo estranho, ou mesmo incrível, que o destino do orelhudo banqueiro do Opportunity, alcançado pela Operação Satiagraha, motive tamanha tensão e abale a autoridade do governo. Assim é, no entanto, e infelizmente. As razões da tempestade são, em princípio, misteriosas. Ou não? Ou será que Daniel Dantas comanda os donos do poder pela via a ele habitual? Eis o lado assustador da história. Na qualidade de cidadão, fico entre o espanto e a vergonha.

ESTADO JUDICIALESCO DO GILMAR MENDES


No Brasil, por força constitucional e nos limites de lei complementar de julho de 1996, a quebra da privacy, por prorrogáveis 15 dias, depende de ordem judicial e condiciona-se às atividades de polícia judiciária e processuais penais. Dessa maneira, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) não está legitimada a postular autorização judicial para realizar escutas telefônicas. Só para recordar, a Abin é uma agência de assessoramento à Presidência da República, nos campos de inteligência e contra-espionagem. Sua atribuição está limitada à geração de conhecimentos destinados à preservação da soberania nacional, à defesa do Estado Democrático de Direito, à proteção da dignidade da pessoa humana e à efetivação dos direitos e garantias individuais e sociais. Com efeito, qualquer interceptação telefônica realizada a mando da direção da Abin ou pelos seus agentes será criminosa. Como em todo órgão público, os 007 da Abin podem cometer abusos e estão sujeitos ao poder corruptor da referida criminalidade dos potentes. No caso da gravação de conversa telefônica mantida entre o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, e o senador Demóstenes Torres, apresentada pela revista Veja como realizada pela Abin, muitas precipitações ocorreram e o ministro-presidente, mais uma vez, excedeu limites. A favor de funcionários públicos, há a presunção de atuarem de forma escorreita. Assim, só no devido procedimento administrativo, em inquérito policial ou num processo criminal, tal presunção pode ficar abalada. Em outras palavras, uma reportagem sem nenhuma prova de certeza a respeito da autoria de grampo ilegal, não poderia colocar sob suspeita toda a cúpula da Abin e, também, o chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, ao qual ela está subordinada. Qualquer rábula de porta de cadeia questionaria se a entrega de tal fita à revista Veja não teria sido “plantada”, no interesse da criminalidade dos poderosos: dentre eles, Dantas, useiro em grampear, intimidar e criar factóides. Vale lembrar ter Dantas já conseguido derrubar o delegado Protógenes Queiroz, cassar as decisões de prisão temporária e cautelar lançadas pelo juiz Fausto De Sanctis e afastar temporariamente o delegado Paulo Lacerda, de currículo imaculado e capacidade reconhecida, da direção da Abin. Mas, quem continua a fazer a alegria de Dantas é, entre outros, o ministro Mendes. De um magistrado espera-se equilíbrio na análise das provas, dos indícios e de meras suspeitas. Seguramente, um juiz, ainda que recém-ingresso na carreira, não prejulgaria, no caso de um grampo ilegal havido, ao concluir pela responsabilidade direta da Abin, tudo diante da fragilidade da reportagem. Como de um magistrado a sociedade civil exige trato urbano e temperança, Mendes jamais poderia sair a alardear que “chamaria às falas” o presidente da República. Com tal destempero e grosseria, pareceu mais um chefe de torcida organizada de futebol do que um presidente da mais alta Corte de Justiça do País. Gilmar Mendes esqueceu-se da condição de magistrado-chefe do Poder Judiciário e prevaleceu o lado passional de vítima de um crime. Com isso, superdimensionou a situação fática e, arrogantemente, colocou o presidente Lula em posição subalterna. Um magistrado sóbrio se limitaria, além de medidas internas protetivas, a requisitar instauração de inquérito, e solicitaria, em visita ao presidente, o empenho necessário, pela ousadia do delinqüente. Não bastassem os transbordamentos e a desmedida indignação, Mendes voltou à imprópria conclusão de vivermos num Estado policialesco, quando, em face dos seus destemperos, arroubos, protagonismos e iniqüidades, nos passa a sensação de estarmos próximos a ingressar num “Estado judicialesco”.


Wálter Fanganiello Maierovitch
Linha de Frente

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

PITBUL OU BOBO DA CORTE??


O Parajornalista, Diogo Mainard, "o pitbul" da Veja foi, mais uma vez, condenado. Confiram o que postou Paulo Henrique Amorim no seu CONVERSA AFIADA:



"Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista."


. O PiG não deu uma única linha sobre a condenação de Diogo Mainardi na Justiça Criminal de São Paulo.

. Diogo Mainardi foi condenado a três meses de cadeia.
. Se tiver dinheiro, pode converter a pena em dinheiro.
. O mais importante, porém, foi Mainardi perder a “primariedade”.
. O que significa que, se for condenado de novo, por não ser mais primário, vai ter que ir, obrigatoriamente, em cana.
. Do ponto de vista das instituições, a decisão por 3 x 0 manda um sinal a todos os colonistas e “jornalistas” do PiG.
. A “liberdade de imprensa” não é escudo para se “censurar pela calúnia”, como disse um dos juízes da ação.
. A “liberdade de imprensa” não é escudo para cometer crimes.
. A “liberdade de imprensa” não é “liberdade DA imprensa” – ou seja, não é só o PiG que tem direito à liberdade.
. O PiG e a Associação Nacional dos Jornais – seu lobby em Brasília – tentam impor a doutrina de que a liberdade de imprensa é ilimitada.
. A dupla condenação de Mainardi no Crime – já tinha sido condenado no Cível, também em segunda instância e também por unanimidade – fixa limites legais à liberdade do PiG.
.Tanto assim que o PiG preferiu ignorar a condenação.
. Mainardi escreve na revista de maior circulação do país, a Veja, a última flor do Fascio, uma revista inescrupulosa –
clique aqui para ler o que Luis Nassif já escreveu sobre como funcionam as entranhas dela –, em que o leitor não distingue comércio de informação.
. Mainardi escreveu um livro best-seller, que, no título, chama o Presidente da República de anta.
. Mainardi participa de um programa na tevê a cabo, de alcance nacional.
. Não é um desconhecido.
. Ele é um símbolo dessa imprensa que flagela o Brasil.
. E, por isso, por ela foi absolvido.